Bíblia do Caminho Seção Temática

Pitonisa


PÍTIA, PITONISA - Sacerdotisa de Apolo Pítio, em Delfos, assim chamada por causa da serpente Píton, que Apolo havia matado. A Pítia dava os oráculos, mas, como nem sempre eram inteligíveis, os sacerdotes se encarregavam de interpretá-los conforme as circunstâncias. ( † )


A pítia (em grego: Πυθία, transl. Pythía) ou pitonisa era a sacerdotisa do templo de Apolo, em Delfos, Antiga Grécia, situado nas encostas do monte Parnasso. A pítia era amplamente renomada por suas profecias, inspiradas por Apolo, que lhe davam uma importância pouco comum para uma mulher no mundo dominado pelos homens da Grécia Antiga. O oráculo délfico foi fundado no século VIII a.C., e sua última resposta registrada ocorreu em 393 d.C., quando o imperador romano Teodósio I ordenou que os templos pagãos encerrassem suas operações. Até então o oráculo de Delfos era tido um dos mais prestigiosos e fiáveis oráculos do mundo grego.  † 



Conhece-te a ti mesmo (do grego antigo: γνῶθι σεαυτόν, transl. gnōthi seauton; também conhecido pela tradução em latim, nosce te ipsum) é um aforismo grego que segundo a tradição estaria inscrito nos pórticos do Oráculo de Delfos,  †  originalmente de Pítia, em Delfos, na Antiga Grécia. Segunda algumas fontes a frase é atribuída a primeira pitonisa deste oráculo, Femonoe.  †  É uma pedra-angular da filosofia de Sócrates e do seu método, a maiêutica, e é muito citado pelo filósofo nos relatos de Platão (Alcibíades, 128d-129) e Xenofonte (Memoráveis, IV, II, 26). O oráculo do templo teria proclamado Sócrates o homem mais sábio na Grécia, ao que Sócrates terá respondido com a célebre frase: “Só sei que nada sei”.  † 


Vide no capítulo 28 do 1º livro de Samuel a história da consulta do rei Saul à pitonisa de Endor.

Vide também no artigo sobre Saul como sua visita à pitonisa de Endor e sua conversa com Samuel é interpretada pelos reformistas.


.

Abrir