Bíblia do CaminhoTemática

Antigo Testamento Página inicial Próximo livro

Livro de Habacuque


TEMAS CORRELATOS
(Antigo Testamento) (Habacuque)

O livro de Habacuque é o oitavo dos profetas menores. W

Consiste em 1. Uma primeira queixa: Clama a Deus contra a violência e a maldade que ele não vê enquanto a iniquidade triunfa (1.2-4). A resposta do Senhor: Deus faz vir os caldeus (5-10), mas por seus pecados os caldeus serão punidos (11). 2. Uma segunda queixa: O reino de Deus certamente não perecerá, e os caldeus serão visitados com o juízo (12); mas um problema moral ainda permanece: Porque permite Deus aos caldeus devastar e destruir aqueles que são mais íntegros que eles (13-17). Deve isto continuar? A resposta do Senhor: Os caldeus são soberbos e injustos [aos olhos da fé, esse fato é suficiente; sentencia (cp. 1. 11; Is. 10.12-16), e sentencia a todos igualmente]; mas o justo viverá por sua fé (Hc 2.4). Essa verdade, corretamente entendida, resolve o problema. Além do mais, a fé na certeza de que Deus punirá a maldade capacita o profeta a pronunciar cinco adversidades contra as grandes potências mundiais por cinco formas de maldades (5-20). 3. Uma oração de elogio (3.1-19) em seguida a uma invocação e uma petição para que Deus em sua ira lembre-se da misericórdia (2), o profeta descreve o aparecimento de Deus em majestade e que resulta na consternação de seus inimigos (3-15), e expressa sua tranquila confiança e fé em Deus (16-19).

O livro não é datado, mas evidencia uma produção do período caldeu. 1. O templo ainda existia (2.20), e o serviço musical é realizado (3.19). 2. A ascensão dos caldeus a um poder formidável entre as nações ocorreu durante essa geração (1.5, 6), e o aniquilamento das nações pelos caldeus já havia começado (6, 17). Os caldeus eram longamente conhecidos pelos hebreus. Eles atraíram atenção renovada por sua revolta bem sucedida contra os assírios em 625 A. C.; e começaram sua grande carreira de subjugação, atingindo a primazia entre os poderes do mundo na queda de Nínive em 612 ou 606 A. C., e por sua vitória sobre os egípcios em Carquemis em 605. A maioria dos críticos datam assim a profecia para a primeira parte do reinado de Jeoaquim, aproximadamente à época da batalha de Carquemis. Pode-se, no entanto, antecipar a queda de Nínive por alguns anos; pois não somente os caldeus iniciaram sua ação em 625, mas acontecimentos militares antes do colapso de Nínive apontavam os caldeus como a próxima grande potência; a subjugação de Judá havia sido longamente predita pelos profetas hebreus (Mq 4.10; Is 11.11; 39.6,7); e seu caráter bélico feroz, sua crueldade habitual e rapacidade na guerra, e seu método de batalha, eram conhecidos por todas as nações. Havia deste modo, até antes de sua vitória em Carquemis, plena justificação pelas declarações feitas em 1.5-10. Se a profecia foi feita antes do sucesso caldeu em Carquemis, Habacuque em 1.2-4 lamenta o carnaval de maldade que ele testemunhou em Israel ou no mundo inteiro. — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis©


.

Abrir