Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Palavras sublimes — Autores diversos


41


Lembrança

1 Ismael, Deus te abençoe,
Trazendo-te ao coração
Os júbilos do trabalho
Em luzes de redenção.


2 Nunca julgues que te esqueço.
No altar de minhas lembranças,
Vives sempre nas saudades
Do meu jardim de esperanças.


3 Ah, meu querido, o sepulcro
Não passa de mero umbral
Que se dirige ao país
Da vida espiritual.


4 Embora a beleza augusta
Da morada que me abriga,
Sinto falta da ternura
De tua bondade amiga.


5 A morte que nos transforma,
Que alivia a nossa dor,
Não aniquila a saudade
Nem apaga o nosso amor.


6 Quando Jesus me permite,
Relembro, sempre ao teu lado,
Nossas flores de outro tempo,
Nossas lutas do passado.


7 Nas bênçãos de teu trabalho,
À luz da meditação,
Recebo-te os pensamentos
E dou-te o meu coração.


8 Como vês, as nossas cartas,
Nossa velha convivência,
Continuam sempre ativas
Em santa correspondência.


9 Não sofras, nem desanimes
Nos serviços da verdade.
Deus ampara os teus labores
De paz e fraternidade.


10 Recorda que o Cristo amado
É o sol que nos ilumina.
E lembra que estamos unidos
No lar da união divina. n


.Abel Gomes




Reformador — Maio de 1943.


[1] Segundo consta do original, o soneto foi psicografado em sessão pública, sem referência de data, do Centro Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, e dirigido a Ismael Gomes Braga, presente na ocasião. O Espírito comunicante era seu tio e amigo íntimo.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir