Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

O Espírito de Cornélio Pires — Cornélio Pires — F. C. Xavier / Waldo Vieira / Elias Barbosa


16


Céu, Inferno e Purgatório

1 Era um caso esquisito a Dona Cissa,

Queria o céu, falava em devoção,

E vivia na Roça do Praião

Afundada na rede e na preguiça…


2 Ensinava jejum e pregação,

Dizia: — “O mundo inteiro é só carniça!”

Mas morreu na panela de linguiça,

Emborcada na quina do fogão.


3 Subiu fora do corpo livremente,

Mas enxergando os anjos no batente,

Espantada, fugiu fazendo cruz!


4 Hoje, clama deitada no oratório:

— “Todo trabalho é inferno e purgatório…”

Inda diz que o céu dela é o de Jesus…


5 Riquezas de sepultura?

O mármore que há nas lousas

Mostra apenas como dura

A pedra em cima das cousas.


6 Conversa de festa e arte,

Conjunto orquestral ordeiro,

Cada qual em sua parte,

Ninguém na do companheiro.


7 Entusiasmo onde esteja

Tem limites naturais.

Confiança diminui

Onde a promessa é demais.


8 As vezes o bem, no mundo,

Não sabe onde se acomode.

Quem pode ajudar não quer,

Quem quer ajudar não pode.


Cornélio Pires



[As poesias destacadas com o texto em cor diversa do negro são devidas à psicografia de Francisco Cândido Xavier, e as outras à de Waldo Vieira.]


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir