Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

O Espírito de Cornélio Pires — Cornélio Pires — F. C. Xavier / Waldo Vieira / Elias Barbosa


11


E foi-se embora…

1 Caiu na obsessão Nico Raimundo,

Mediunidade nele era um problema;

Forte e feliz, queixava de eczema,

Tinha medo das almas de outro mundo!


2 Tanto sofreu por doido vagabundo,

Que foi levado a um passe em Saquarema;

O Espírito da Irmã Clara Moema

Disse-lhe pelo médium Clarimundo:


3 — “Meu amigo, isso é só mediunidade,

Você sara, ajudando a Humanidade,

Estudando e servindo desde agora!…”


4 Mas, Nico, viciado à boa vida,

Recuou para a porta de saída,

Gritou que ele era livre e foi-se embora…


5 Vingança perante a ofensa —

Delito igual por igual.

Primeiro passo no bem:

Esquecimento do mal.


6 Mais vale saber que ter,

Cultura aprimora o bem,

Mas só saber sem fazer

Não adianta a ninguém.


7 Ventura que não se perde

Consiste nesta verdade:

Fazer os outros felizes

Sem pedir felicidade.


8 Infeliz não é aquele

Que nunca teve o que quis.

É aquele que nunca soube

Que ser bom é ser feliz.


Cornélio Pires



[As poesias destacadas com o texto em cor diversa do negro são devidas à psicografia de Francisco Cândido Xavier, e as outras à de Waldo Vieira.]


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir