Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Nosso livro — Autores diversos — 2ª Parte


8


Poema da fraternidade

   1 A vida é sempre a iluminada escola.

  Compadece-te e ajuda no caminho.

  Por toda parte, há dor que desconsola

  E toda gente aguarda a leve esmola

  Do sorriso, da prece, do carinho…


   2 Nem sempre vês quem chora e necessita.

  Há muita treva, muita sede e fome

  Escondidas em laços de ouro e fita,

  E, em tudo, há muita máscara bonita

  Ocultando a miséria que consome.


   3 Quanta cabeça se ergue à luz dourada

  Na multidão festiva que fulgura!

  E, a sós, pende tristonha e desvairada,

  Aturdida no horror da própria estrada,

  Chorando de aflição e de amargura!…


   4 Quanto sonho padece ao desabrigo!

  Quanta mágoa contida, vida afora!…

  Auxilia o príncipe ao mendigo,

  Não atrases o abraço doce e amigo,

  Que o companheiro espera, desde agora.


   5 Que a boa luta te não desagrade,

  Sê mais amplo no esforço da harmonia…

  Semeia a glória da Fraternidade!

  Sem a luz da União e da Amizade,

  Não há bênçãos da Paz e da Alegria.


.Carmen Cinira


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir