Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Moradias de Luz — Autores diversos


2


Santuário vivo

1 Em verdade, quando atingirmos o grande entendimento, prescindiremos dos refúgios de pedra para o serviço de adoração a Deus.

2 Perceberemos, nessa altura da romagem evolutiva, que a melhor demonstração de fé viva será sempre aquela a expressar-se em forma de serviço aos semelhantes, na sublimação de nós mesmos, e por isso encontraremos em nosso veículo de manifestação o templo mais adequado às nossas relações com o Pai Celestial.

3 Comecemos a prática renovadora, oficiando no culto à verdadeira fraternidade, e nossa existência, decerto, assumirá diferente feição, diante daqueles que nos rodeiam.

4 Consagremos o pensamento à grande compreensão que tudo dirige para o bem.

5 Dediquemos a visão às qualidades mais nobres dos companheiros de luta, com esquecimento de prováveis chagas e cicatrizes.

6 Ofereçamos ouvidos à boa palavra, guardando surdez para a maledicência e para a leviandade.

7 Devotemos o verbo ao esforço de elevação, estimulando a bondade e a harmonia.

8 Hipotequemos as mãos ao trabalho incessante, no desempenho dos próprios deveres.

9 Conduzamos os pés nas sendas da boa vontade para com todos.

10 E, assim procedendo, transformaremos nosso Espírito em altar vivo, resplendente de luz, retratando o brilho do Divino Amor para sempre.

11 Veneremos as casas religiosas, quaisquer que elas sejam, nelas identificando, por enquanto, o melhor que podemos fazer no campo da fé, mas não nos esqueçamos de que o santuário vivo do Pai Celestial fulgurar-se-nos-á no coração quando nos convertermos em leais instrumentos da Vontade Justa e Sábia do Cristo, nosso Mestre e Senhor.


.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir