Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

História de Maricota — Casimiro Cunha


9


Aflita

1 Distante do corpo frio,

Maricota, sem repouso,

Notou que a morte era um anjo

De olhar terno e carinhoso…


2 Ajoelhou-se a coitada,

Chorou e pediu assim:

— Mensageiro da Bondade,

Compadece-te de mim!…


3 — Minha filha — disse ele —,

Desejava auxiliar-te,

Mas, há monstros que te buscam,

Chegando de toda a parte.


4 Depois de um minuto longo,

Afirmou, cheio de dor:

— Ah! filha, repara em torno,

Pede o perdão do Senhor.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir