Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico Xavier — Mandato de amor — Autores diversos — 2ª Parte


25


Ave, Cristo!

1 Como outrora, no lago, ante o açoite do vento,

Cristo, o Mestre e Senhor, vencendo a noite, avança!…

De Novo, brilha a paz e ressurge a bonança

Sobre o estranho furor do temporal violento.


2 Ei-lo excelso e imortal, seguindo, calmo e atento,

O Celeste Pastor, sem cansaço ou mudança,

No Espiritismo em luz, a Divina Esperança

Que combate a miséria e apaga o sofrimento…


3 Ave, Cristo de Deus! Ave, glória da Vida!…

Fala, ainda, Senhor, à Terra empobrecida

Do celeste esplendor da glória a que te elevas!…


4 O Espiritismo é Cristo ao coração do povo,

Plasmando, no Evangelho, um mundo grande e novo

Ao sol do Eterno Amor que rompe as nossas trevas.


.Amaral Ornellas



(Poesia recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em 5 de outubro de 1952, em sessão solene de encerramento do II Congresso  Espírita Mineiro. Inserida no livro “Através do Tempo”. Fonte: “O Espírita Mineiro”, número 8, outubro de 1952.)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir