Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Correio fraterno — Autores diversos


46


O divino encontro

   1 Viajor!… viajor!…

  No oceano da vida,

  Muita vez, tua voz,

  Misturada de pranto,

  Clama a Presença Divina…


   2 Entretanto,

  Basta que surja uma ilha sedutora

  Para que te detenhas muitos anos,

  No cipoal das sensações efêmeras,

  De bússola abandonada,

  De leme esquecido,

  De navio ancorado em sombra…


   3 Descuidado e feliz,

  Observas, não longe,

  Terremotos de dor compelindo-te à volta ao mar.

  Lembras-te, então, de novo,

  E imploras, angustiado, a Presença Divina…


   4 Todavia,

  Basta que um companheiro te provoque

  À disputa infeliz

  Para que te projetes na água turva,

  Fora da embarcação.


   5 Torturado, bracejas,

  Entre os monstros do abismo,

  Não podes repousar,

  Senão momentos breves

  Entre braços de rocha

  A emergirem do fundo…

   6 E após dias de dor,

  De sede, fome e sono,

  Ganhas a praia extensa,

  — Um deserto areal…

  Nem árvores, nem fontes,

  Apenas ervaçais

  Onde a serpente mora,

  Aguardando-te os pés.


   7 Foges, espavorido,

  Esfarrapado e só,

  E, quando a ventania

  Improvisa o sepulcro

  Que te espera, por fim,

  De corpo verminado,

  Apodrecido e nu,

  Sem bússola, sem nau,

  Sem âncoras no porto,

  Sem a voz de ninguém

  Que te console ou guie,

  Agarras-te à fé viva

  E gritas para o Céu:

  — Senhor! Senhor! Senhor!…


   8 Então, e só então,

  Sentes no coração

  Que soluça e que ri

  A voz, a Grande Voz que te renova o “eu”:

  — Não temas, filho meu,

  Espera!… Estou aqui.


.Alma Eros


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir