Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Coração — Autores diversos — 2ª Parte


18


Fraternalmente

  1 Perdoa a mágoa hostil que te consome,

  Porque, no centro dalma dolorida,

  Há de travar-se, com rigor sem nome,

  A batalha que aflige mais que a fome,

  Pela sublimação da própria vida.


  2 Enquanto vociferas quanto esgrimes,

  Contra todos, supondo-te o mais forte,

  Desprezarás teus próprios dons sublimes,

  Multiplicando as lágrimas e os crimes

  Que te prendem aos pântanos da morte.


  3 Foge aos golpes escuros do conflito,

  Não te faças rebelde, triste e louco;

  Ao redor de teus sonhos no Infinito.

  Há sempre um mundo amargurado e aflito,

  Melhorando e subindo, pouco a pouco.


  4 Não dueles morrendo, em vão, lá fora…

  Trabalha, valoroso, dia a dia,

  Aceitando o aguilhão que te aprimora

  E acendendo, em ti mesmo, a nova aurora

  Da verdade, de amor e da harmonia!


  5 Transforma em luz a fé que te domina,

  Ensinando e servindo, sem alarde,

  Porque amanhã, chorando o corpo em ruína,

  Procurarás, debalde, a luz divina,

  Suplicando e gemendo muito tarde.


.Carmen Cinira


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir