Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Coração — Autores diversos — 1ª Parte


8


Mensagem de bom ânimo

1 A simpatia e a amizade são duas flores enraizadas no jardim do tempo.

2 De longe chegamos para a subida ao monte da elevação.

3 Manifestemos a Jesus o nosso reconhecimento profundo pelo ensejo de serviço abençoado que nos confere.

4 Com as dificuldades de hoje, aprendemos a reajustar os recursos que ontem relegamos ao abandono.

5 Não há dor sem causa e nem lágrimas sem procedência justa.

6 Nossos obstáculos de agora foram tecidos por nós mesmos. Tenhamos, pois, a coragem de eliminá-los a golpes de esforço próprio, buscando na caridade a luz acesa para o nosso roteiro da ascensão.

7 Recordações aflitivas nos possuem a alma, diante do pretérito próximo. Sofrimentos incontáveis marcaram a nossa passagem sobre a Terra de séculos passados e hoje não nos cabe senão aceitar o resultante de nossos compromissos na Vida Espiritual.

8 Só a humildade é a energia suficientemente segura, para sustentar-nos o êxito no serviço abençoado e não devemos esmorecer na jornada que nos compele para diante…

9 Não nos falte a fé, sob a tempestade do mundo.

10 O temporal das incompreensões, invariavelmente, na Terra, surpreende os que procuram entender a vida como Jesus no-la reservou, repleta de santas obrigações da fraternidade, uns à frente dos outros.

11 Façamos de cada dia um canteiro de trabalho em favor do nosso próximo, porque o serviço aos outros é sumo bem a nós mesmos.

12 Guardemos o coração na confiança sincera em nosso Pai Celestial.

13 Ninguém renasce na Terra para gozar ou para converter a carne em instrumento de reprovável prazer.

14 A existência, entre as criaturas terrestres, é uma porta divina que se abre à nossa firme vontade de trabalhar e renascer para o Alto.

15 Aqueles que dormem ou que estacionam em posição imprópria, naturalmente perdem a mais valiosa estrada de acesso à Esfera Superior.

16 Por isso mesmo, prossigamos para a frente, sem desânimo e sem fadiga.

O desalento é dos invigilantes.

O cansaço é dos fracos.

17 Auxiliemo-nos, amparando os outros.

Ergamo-nos, levantando os que caíram.

18 Desçamos aos precipícios da sombra, para exercer a caridade com Jesus, a fim de subirmos, realmente com Ele, às regiões da Perfeita Alegria.

19 Abençoemos a luta para que a vitória nos abençoe.

20 Ensinemos, praticando os princípios que nos iluminam a palavra.

21 Avancemos para a frente, sustentando aqueles que ainda não aprenderam a ciência da marcha regular.

22 Doemos nossas possibilidades, em benefício de todos, para que a vida se compadeça de nós, socorrendo-nos sempre.

23 Escravizemo-nos ao dever com o Cristo, e o cativeiro divino no Evangelho nos restituirá a verdadeira liberdade.

24 No sacrifício de nós mesmos, a favor do bem, permanece a bendita sementeira do triunfo para a glória imortal.

25 Tudo na Terra passa ou se transforma. Nosso espírito, porém, com toda a nossa bagagem de esperanças e sonhos, não sofre alterações que se refiram à decadência ou ao sofrimento.

26 A elevação é o nosso destino.

De almas unidas, pois, sob o manto da fraternidade em Jesus, Nosso Mestre e Senhor, que possamos cumprir todos os nossos deveres, seguindo em companhia d’Ele para o Monte da Redenção, na conquista de nossa felicidade para sempre.


.Agar


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir