Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia dos Imortais — Autores diversos — 3ª Parte


10n

José Guedes n


1

FILHO QUE NÃO NASCEU

  1 Fui trazido ao teu colo e sussurro, baixinho:

  — “Mãe, eu serei na carne o sonho de teu sonho!…”

  Depois, em prece ardente, em ti meus olhos ponho,

  Pássaro fatigado ante a úsnea do ninho.


  2 Abraço-te. És comigo a esperança e o caminho…

  Em seguida — oh! irrisão! —, eis que, num caos medonho,

  Expulsas-me a veneno, e, bruto, me empeçonho,

  Serpe oculta a ferir-te em silêncio escarninho.


  3 Já me dispunha a dar o golpe extremo, quando

  Surge alguém que me obriga a deixar-te dançando

  Em formoso salão onde o prazer fulgura.


  4 Passa o tempo. Hoje volto… É o amor que em mim arde.

  Mas encontro-te, oh! mãe, a gemer, triste e tarde,

  Sombra que foi mulher, enjaulada à loucura…


2

IR E VIR

  1 Oh! suprema ventura, ampla e radiosa!

  Libertar-se e subir, ao fim da luta…

  A alma sonha, tateia, ouve e perscruta

  A alegria que há muito se não goza! n


  2 Mais além, surgem trilhas de ouro e rosa,

  Sobre a Terra que foge, diminuta…

  A paisagem por fim se desenluta

  Em aurora esplendente e majestosa!


  3 Estou livre, no entanto escuto gritos

  Que me lanham quais látegos aflitos…

  Triste de mim!… Debalde, me comovo!…


  4 O passado apresenta longo arquivo, n

  E eu, que ria e cantava redivivo,

  Volto ao berço das lágrimas de novo!…


3

LAMENTO PATERNO

  1 Ah! meu filho, na concha de teu peito,

  Via-te o coração por céu vindouro,

  Encerravas contigo, meu tesouro,

  O futuro risonho, alto e perfeito.


  2 Entretanto, prendi-te a cruzes de ouro,

  Cujo peso carregas sem proveito,

  Abatido, cansado, insatisfeito,

  Arrojado a terrível sorvedouro…


  3 Recolheste, no encanto de meu jugo,

  O fascínio da posse por verdugo

  E a preguiça forjando horrendas pragas.


  4 Hoje, chamo-te em vão… Ouves apenas

  O dinheiro vazio que armazenas

  Na demência da usura em que te apagas!…



[1] As poesias de números ímpares foram recebidas pelo médium Francisco Cândido Xavier e as de números pares pelo médium Waldo Vieira. Dispomo-las assim, por sugestão dos Amigos Espirituais.

[2] O poeta não se identificou nas reuniões a que compareceu.

[3] Observe-se o efeito extraordinário desta próclise pronominal: “…que há muito se não goza!”

[4] Quer o poeta dizer que o corpo espiritual ostenta os clichês de todos os seus atos praticados, inclusive os de existências anteriores a que, debalde, tenta o indivíduo fugir.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir