Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia dos Imortais — Autores diversos — 2ª Parte


50

Guterres Casses


TARDE DEMAIS

  1 O insucesso no amor — torva loucura!

  Minara-lhe a razão já combalida,

  E no silêncio atroz da noite escura

  Resolve exterminar a própria vida…


  2 A taça de veneno, em mão segura,

  Tomba o corpo no espasmo da partida…

  Horas depois, em brasas de tortura,

  A alma da jovem clama, arrependida!…


  3 Junto à forma indefesa, enregelada,

  Ela, à feição de rosa, jaz pendida n

  Da haste imóvel e triste a que se aferra…


  4 Convertera em abismo a curta estrada!

  E, entre abatida e pávida, a suicida

  Tarde demais pranteia sobre a terra!… n


Átila GUTERRES CASSES — Jornalista e poeta, pertenceu Guterres Casses à Sociedade de Homens e Letras do Brasil, bem como à extinta Academia Riograndense de Letras, onde ocupou a cadeira n° 9. “Uma das figuras mais representativas do Parnaso Gaúcho”, segundo Antônio Carlos Machado (Col. Poetas Sul-Riogr., pág. 243). Promotor público em várias cidades do seu Estado. Inspetor Federal do Ensino e redator da revista A Noite Ilustrada, do Rio. (Alegrete, Rio Grande do Sul, 26 de Junho de 1890 — Rio de Janeiro, Gb, 28 de Novembro de 1945.)

BIBLIOGRAFIA: Stradivarius, versos. Deixou inéditos: Filigranas e Rimas d’Antanho.


Nota. Guterres Casses inscreveu em sua obra Stradivarius algumas composições de sentimento reencarnacionista. Alinham-se, entre outros, esses sonetos em que o vate prega a doutrina das vidas sucessivas: “Introspecção” (pág. 86), “Reencarnação” (pág. 87), “Esto Memor” (pág. 88), “Avatar” (pág. 90), etc.

Satisfaremos a curiosidade do leitor, transcrevendo o belíssimo soneto “Reencarnação”, dedicado pelo Autor a Argeu Veiga:


“Na expiação de falhas milenárias,

Eis-me de novo na matéria inglória!

E, dessas migrações extraordinárias,

Nada guardei nas aras da memória!…


Não sei que culpas ou que faltas várias

Perpetrei nessa antiga trajetória!

Nem que lições cruéis e necessárias

Eu recebi na fase transitória!…


Não lembro o que me deu essa outra vida:

Se foi brilhante e farta em seus prazeres,

Ou foi trevosa e pobre e dolorida!…


Mas sei que volto às multiformas vis,

Pelo Mal que causei aos outros seres,

Pelo Bem que colhi e que não fiz!…”



[1] Observe-se o “enjambement”.


(Psicografia de Waldo Vieira)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir