Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia dos Imortais — Autores diversos — 2ª Parte


37

Carvalho Aranha


À PROCURA DA IDEIA ORIGINAL

  1 O homem demanda, embora surdo e lento,

  A verdade que o busca, viva e certa;

  Mas dorme na ilusão a que se oferta,

  No garimpo interior do pensamento. n


  2 Iludido, cansado, desatento,

  Crendo no acaso, um dia brilha e acerta…

  Muda-se então a vida em luz aberta

  Pela fulguração de um só momento.


  3 O súbito clarão de uma faísca

  Explode no horizonte azul e risca

  O alto manto do céu em que se enflora…


  4 Assim, a ideia nova em nossa mente:

  Eclode num lampejo incandescente

  E abre caminho pelo mundo afora…


Augusto Álvaro de CARVALHO ARANHA — Depois de estudar no Maranhão e em Pernambuco, veio C. Aranha a matricular-se na Faculdade de Direito de S . Paulo, bacharelando-se em 1901. Além de poeta distinto, foi promotor e juiz em algumas cidades do interior paulista. Colaborou em inúmeros órgãos da imprensa de Sergipe, Pernambuco, Rio e S. Paulo . Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de S. Paulo. Sobre ele assim se externou Armindo Guaraná, em seu Dic. Bio-Bibl. Sergipano, pág. 41: “Poeta primoroso e festejado da escola parnasiana, é também um espírito dotado de filantropia e um juiz culto e reto.” (Aracaju, Sergipe, 30 de Janeiro de 1876 — Rio de Janeiro, Gb, 30 de Março de 1928.)

BIBLIOGRAFIA: Primícias; Poeira do Meu Caminho; Visão das Horas; etc.



[1] Leia-se in-te-rior, com sinérese.


(Psicografia de Waldo Vieira)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir