Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia dos Imortais — Autores diversos — 2ª Parte


11

Alves de Faria


SONETO

  1 Tu que tens o batel da existência imergindo

  Aos balouços do mar das provações medonhas,

  Levanta o olhar, além do orgulho mal-avindo,

  E busca na oração a calma com que sonhas.


  2 Verás pelo horizonte o cais de um porto lindo,

  Se estenderes socorro às vítimas tristonhas

  Dos tredos chavascais do vale humano infindo,

  Qual âncora de amor em pegos de peçonhas.


  3 As vascas da aflição de alguém que grita e chora,

  Rogam-te mãos no bem, ante o sonho da aurora,

  Emprestando valor à vida que desfrutas.


  4 Guarda em ti mesmo a paz e, enquanto reinam trevas,

  Conservarás contigo a luz em que te elevas

  Por divino farol nas ondas convolutas. n


Rodolfo ALVES DE FARIA — Depois de estudar Direito em S. Paulo, onde foi companheiro de Alphonsus de Guimaraens, o poeta de “Voz das Coisas” bacharelou-se, em 1891, pela Faculdade do Recife, iniciando sua carreira em Carangola, Minas, onde abraçou as obrigações de promotor, vindo ali a fundar O Rebate, pequeno jornal que lhe refletia as ideias. Mudou-se, mais tarde, para o Rio; onde participou ativamente junto aos poetas simbolistas, colaborando em diversas publicações, entre outras, a Cidade do Rio, Thebaida, Novidades, tendo sido redator-chefe de O Jornal Ilustrado, em sua segunda fase. Exerceu, posteriormente, no Estado de Sergipe, os cargos de procurador e juiz de Direito, acabando por desencarnar em sua cidade natal, vítima de pertinaz moléstia. Além de poeta de elite, Alves de Faria foi orador distinto, romancista e novelista. (Maceió, Estado de Alagoas, 23 de Março de 1871 — Maceió, 25 de Junho de 1899 *.) — (*) Confirme-se a data de desencarnação no jornal maceioense — A Tribuna, de 27 de Junho de 1899, pág. 2.

BIBLIOGRAFIA: Obra poética dispersa; Mar; Pinturescos; Perfume.



[1] Note-se a musicalidade dos versos, conseguida em parte pela repetição intencional da consoante v, que se estende da primeira à última estrofe.


(Psicografia de Waldo Vieira)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir