Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos


41

Mestre e aprendiz

1 E, respondendo ao discípulo que lhe pedira ensinasse a orar, disse o Mestre generoso:

  2 Quando rogares amor, não abandones o próximo ao frio da indiferença.

  3 Quando suplicares o dom da fé viva, não relegues teu irmão à descrença ou à tortura mental.

  4 Quando pedires luz, não condenes teu companheiro à perturbação nas trevas.

  5 Quando solicitares a bênção da esperança, não espalhes o fel da desilusão.

  6 Quando implorares socorro, não olvides a assistência que deves aos mais necessitados.

  7 Quando rogares consolação, não veicules o desespero à margem do caminho.

  8 Quando pedires perdão, desculpa os que te ofendem.

  9 Quando suplicares justiça, em favor da própria segurança, não te descuides da harmonia de todos que precisas assegurar ao preço de tua renunciação e de tua humildade, a benefício dos que te cercam.


  10 Se reclamas pela claridade da paz, não estendas a sombra da discórdia.

  11 Se pedes compreensão, não critiques.

  12 Se aguardas concurso do Céu, não menosprezes a colaboração que o mundo te pede à boa vontade.


13 Assim como fizeres aos outros, assim será feito a ti mesmo.

14 Segundo plantares, colherás.

15 Não olvides, assim, que a Vontade do Senhor é também a Lei Eterna e que tudo te responderá na vida, conforme os teus próprios apelos.

16 Vai, pois, e, orando, perdoa e ajuda sempre!…


17 Foi então que o aprendiz, reconhecendo que não basta simplesmente pedir para receber a felicidade, passou a construí-la através do serviço à felicidade dos outros, compreendendo, por fim, que somente pelo trabalho incessante no bem poderia orar em perfeita comunhão com a Bondade de Deus.


.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir