Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Alma e Vida — Maria Dolores


18

Espinhos

   1 Ouço-te as preces, alma querida e boa,

  Rogando proteção,

  Como quem pede entendimento e abrigo

  Para o cansado coração…

   2 E sei que choras, com motivos próprios,

  Mesmo vivendo no clarão da fé,

  Porquanto quem passou pelas sendas humanas

  Sabe o que seja a luta e a provação como é…


   3 Para os que decidem a viver sob a inércia,

  Tempo, ante algum tempo, é sono simplesmente,

   4 Mas para quem aceita o próprio aprendizado

  A vida é diferente…


   5 Entretanto, recorda:

  Os espinhos da alma

  São sempre como são,

  Formando, em qualquer parte, os degraus da subida

  À luz da elevação…


   6 E os espinhos são muitos,

  No caminho interior,

  É o dever de se dar à batalha do bem,

  O encargo de atender ao plantio do amor…

   7 É a incompreensão de alguém, é o desafio

  A fim de que se anule a tentação

  Que tantas vezes nos visita,

  A testar-nos o próprio coração;

   8 É a nossa dor e a luta dos que amamos,

  A inquietação e o medo, em cada prova,

  A tristeza, a amargura, a sombra e a mágoa,

  Tudo, enfim, que nos fere e nos renova.


   9 Inda assim, alma boa,

  Vale a pena seguir… Ama e perdoa!…


   10 A fim de que se alcance a suprema alegria,

  Não basta ver em nós sofrimento e pesar,

  É preciso vencê-los, dia a dia,

  Trabalhar e servir, aprender e passar…


.Maria Dolores


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir