Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Job    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 30

(Versículos e sumário)

30 Porém agora zombam de mim os de menos idade, cujos pais noutro tempo não me dignaria eu pôr com os cães do meu rebanho;

2 Aqueles, cuja força de mãos reputava eu em nada, e eram estimados como indignos de viver.

3 Estéreis pela pobreza e pela fome, que andavam roendo pelo deserto, esquálidos pela calamidade e pela miséria.

4 E comiam ervas, e cascas de árvores, e que se sustentavam das raízes dos juníperos [zimbros].

5 Que arrebatando dos vales estas coisas, logo que as achavam, corriam a elas com gritaria.

6 Habitavam nas concavidades dos reis e nas cavernas da terra, ou sobre os penhascos.

7 Que achavam a sua alegria entre tais coisas, e reputavam por delícia estar debaixo dos espinhos.

8 Filhos de gente insensata e desprezível, e que nem ainda aparecem na terra.

9 Agora tenho chegado a ser a sua canção e me tenho feito objeto dos seus escárnios.

10 Eles me abominam e fogem para longe de mim, e não receiam cuspir-me no rosto.

11 Porque abriu a sua aljava e me afligiu e pôs um freio na minha boca.

12 Logo que comecei a aparecer se levantaram à minha destra as minhas calamidades; transtornaram os meus pés, e me oprimiram com as suas veredas, como com ondas.

13 Desbarataram-me os meus caminhos, armaram-me traições, e prevaleceram, e não houve quem me socorresse.

14 Como na brecha de uma muralha, e por uma porta aberta se lançaram sobre mim, e me vieram acabar na minha miséria.

15 Reduzido me vejo a um nada, arrebataste o meu desejo como vento; e como nuvem passou a minha saúde.

16 E agora dentro de mim mesmo se murcha a minha alma, e me possuem dias de aflição.

17 De noite os meus ossos são traspassados de dores; e os que me devoram não dormem.

18 Com a multidão destes se consome o meu vestido, e me cercaram como com cabeção de túnica.

19 Sou comparado ao lodo, e sou semelhante ao pó e à cinza.

20 Clamo a ti e não me ouves; ponho-me diante de ti e não olhas para mim.

21 Trocaste-te em severo para comigo, e na dureza da tua mão te mostras inimigos para comigo.

22 Elevaste-me, e como pondo-me sobre o vento, me arrojaste com violência.

23 Sei que me entregarás à morte, onde há casa estabelecida para todo o vivente.

24 Mas não estendes a tua mão para consumi-los inteiramente; e se caírem, tu mesmo os salvarás.

25 Eu chorava algum dia sobre aquele que estava aflito; a minha alma se compadecia do pobre.

26 Esperava bens, e vieram-me males; esperava a luz e saíram trevas.

27 As minhas entranhas ferveram sem descanso algum; os dias da aflição me surpreenderam.

28 Caminhava triste, mas sem furor; levantando-me gritava no meio da gente.

29 Fui irmão de dragões, e companheiro de avestruzes.

30 Denegrida está a minha pele sobre mim, e os meus ossos se secaram pelo ardor.

31 A minha cítara se trocou em tristes lamentos, e o meu órgão nas vozes dos que choram.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir